Post 01/abr - Líderes apesar de bem intencionados, podem estar desmotivando suas equipes

traspfunc.png

Líderes apesar de bem intencionados, podem estar desmotivando suas equipes 


Não seria fantástico você ter uma equipe que supera suas expectativas, trabalha de forma harmoniosa e está sempre em busca de novos desafios? É o que todo líder e toda empresa desejaria.

Manter a motivação pessoal e de uma equipe é um dos principais desafios dos líderes. Em geral, a maioria sabe porque é tão importante garantir a motivação do time. As pessoas motivadas:


1. Trabalham com mais vontade;

2. São mais produtivas;

3. Vivem satisfeitas;

4. Contribuem para o bom ambiente de trabalho;

5. São engajadas na cultura organizacional e permanecem na empresa por mais tempo.


É vantagem para todos na equipe e na empresa. Por isso, todo líder quer elevar a motivação da sua equipe e mantê-la alta. Mas, esse acaba sendo um dos nossos principais erros: achar que a motivação é algo imposto por um fator externo.

Atingir um objetivo, um sonho, uma situação mais feliz é o que nos move a fazer o que fazemos. Nem todos sabem claramente o que os motiva. Por isso, o líder tem o papel fundamental e significativo de incentivar seus liderados a desenvolver o autoconhecimento e descobrir seus objetivos, seu propósito.


Ao saber quais as aspirações dos membros da equipe, suas motivações pessoais e seus projetos de vida, o líder pode delegar tarefas que sejam mais interessantes para cada um. Além disso, ambos têm maior clareza sobre como a organização pode contribuir para que esses sonhos sejam atingidos.


Não há situação mais desmotivadora do que estar em um ambiente sem perspectivas de crescimento e desenvolvimento.

Conhecer cada uma das pessoas é importante para evitar um outro grande erro que é: Tratar todos como iguais. Sim, o líder precisa compreender que as pessoas têm diferentes personalidades, níveis de maturidade, estilos comportamentais, gostos e trajetórias de vida. É um erro pensar que o que desperta e mantém a motivação em um indivíduo será o mesmo para as demais. Ou ainda, pensar que o que motiva VOCÊ vai motivar os outros na mesma medida e da mesma maneira.


Novamente entra em cena o papel do autoconhecimento, do interesse genuíno em conhecer seu colaborador e, principalmente, da proximidade do líder com os demais membros da equipe. É conhecendo as pessoas e conversando frequentemente que os interesses ficarão claros para todos, e o alinhamento entre os propósitos individuais e o da equipe fica mais evidente.

Respeito e diálogo é a base do bom ambiente de trabalho. Por esse motivo, outra ação que o líder deve evitar para manter a motivação é: Reprimir o diálogo e os questionamentos. A equipe só fala quando se sente à vontade com seus superiores. Assim, é importante que o líder cultive, respeite e valorize a comunicação aberta. Nesse caso, o líder tem uma responsabilidade muito grande de cultivar a humildade e estar disponível para os seus liderados – tanto para sugestões quanto para críticas.


Isso requer que o líder esteja constantemente se auto observando, pedindo feedback e avaliando suas ações: será que eu estou aberto ao que minha equipe tem a dizer sobre o ambiente e condições de trabalho? Estou dando atenção a todos da equipe? Explico com clareza a quais solicitações podemos atender ou não?


É um exercício com o qual todos têm a ganhar. Nunca se sabe quando poderá chegar uma informação importante para o sucesso da empresa, e isso tem a ver com mais uma ação que pode ser um tiro no pé: Excluir a equipe das decisões, uma das grandes fontes de motivação é sentir que a organização também pertence ao colaborador. Quando as pessoas da equipe sentem que podem contribuir com a melhora dos processos, ficam mais motivadas a executar suas atividades com maestria. Além disso, sentem-se reconhecidas quando uma boa sugestão dá resultados para a equipe e para a empresa.

O líder que não ouve as ideias e sugestões dos funcionários perde uma ótima oportunidade de ganhar em duas vertentes: melhorando os resultados e engajando a sua equipe.


Enfim, fique atento aos pontos mencionados acima e lembre-se que a premissa principal da liderança é ser o exemplo.

O líder é o modelo a ser seguido, como representante de uma equipe. Ele deve ser capaz de realizar tudo aquilo que espera de sua equipe. Mesmo que você não possua todas as competências técnicas que um especialista da sua equipe tem, você deve ser capaz de utilizar seus recursos da melhor maneira possível, promovendo os pontos fortes de cada membro da equipe para apoiá-lo no que tiver dificuldade. Na verdade, dificuldade é considerada um desafio, e buscar novos conhecimentos é algo motivador para um líder de alta performance.


Um líder de alta performance surpreende ao entregar mais do que esperam, sem causar impactos negativos. Ele busca melhoria contínua em cada aspecto da sua vida. Na empresa, sempre procura encontrar formas de otimizar o seu trabalho, seu tempo e seus recursos. Quando uma equipe possui um líder assim, meio caminho está andado. Aprender por modelagem é um ótimo atalho!

Agora, sabendo que você é um líder que inspira, há 5 dicas importantes que aceleram ainda mais a performance de sua equipe.


1. Compartilhe a visão de futuro

O líder deve compartilhar a visão estratégica da empresa, para onde estamos indo, quais são os objetivos gerais e como sua equipe e cada pode contribuir para esta visão. Deixe claro aonde sua equipe vai chegar se realmente se empenhar. Deixe claro aonde os membros da sua equipe chegarão juntos e apoie o caminho até lá. A visão começa com o líder, mas só se realiza pelos esforços da equipe.


2. Conheça a sua equipe

É essencial conhecer todos os membros da sua equipe. Quais são suas competências? Quais são seus estilos de trabalho? Quais são seus níveis de maturidade? Como são seus comportamentos? Conhecendo mais da sua equipe, você pode demandar as atividades certas para as pessoas certas. É muito comum termos expectativas falsas de pessoas da equipe por simplesmente não as conhecermos no detalhe.


3. Defina metas desafiadoras, e viáveis

Muitas vezes, uma equipe não é de alta performance porque ninguém nunca disse para ela que isso era importante. Você, líder, deve deixar claro o que espera da sua equipe. Defina metas claras e mensuráveis, com um bom grau de desafio. Não pode ser algo que as pessoas fazem “com os pés nas costas”. Dê um toque de dificuldade. Deixe claro que é possível superar a meta e que você espera isso! Conhecendo a sua equipe, você saberá que a meta é viável, apesar de desafiadora.


4. Delegue e mostre confiança

Confie na capacidade de sua equipe. Delegar é um exercício desafiador para os líderes, pois eles sabem executar as tarefas muito bem e com isso sentem insegurança ao delegar para outras pessoas. Porém, a delegação faz parte do crescimento da sua equipe. Sua equipe saberá que você os conhece bem, defina claramente o que espera deles e confie em seus resultados. Estabelecer um relacionamento de confiança é parte crucial da alta performance. É muito motivador.


5. Mantenha contato constante e valorize cada avanço na direção correta

Manter contato constante com a equipe demonstra que você zela pelos resultados e que está ali para apoiá-los. Fazendo o acompanhamento das atividades, como líder você observa possibilidades de melhorar os resultados da equipe, e mudança de planos ao longo do caminho. Não deixe sua equipe sozinha na jornada e por fim, valorize cada avanço e comemore as conquistas. Lembre-se que você é a inspiração da sua equipe. A lealdade e a confiança são conquistas, e não imposições.



 




Adriana Lara, Diretora de Marketing e Vendas da Target Outplacement, formada em Administração de Empresas pela  FAE/PR, com MBA em Gestão e Marketing pela BSP School São Paulo, com certificação em DISC e TRIMETRIX DNA Coaching pela TTI Success Insights. Sólida experiência corporativa em empresas como a Lifefitness, Chess, Saldanha Consulting e membro do comitê de Marketing e Vendas da AMCHAM.